Artigos

Email: ortopediamaurozyman-gmail.com  telefone(11) 3285-3741 / (11) 5904-2811 whatsapp (11) 98812-0843 

A artrose engloba vários subtipos. É o caso da rizartrose, que afeta a articulação do polegar com o punho, mais especificamente a que liga o osso chamado trapézio (punho) ao primeiro dos três ossos do dedo, este chamado de metacárpico ou metacarpiano.

A função desta articulação é de mobilidade e preensão do polegar com os demais dedos. A doença age lentamente destruindo essa articulação.

Quem pode ter?

Diferentes motivos podem levar uma pessoa a desenvolver rizartrose, como a predisposição familiar (genética) e o desgaste natural da idade. Embora todas as pessoas possam desenvolver a doença, mulheres com mais de quarenta anos possuem predisposição.

A ação do tempo é um dos principais fatores que contribuem com o desgaste articular, sumariamente por conta das lesões por esforço e/ou movimentos repetitivos. Traumatismos causados por acidentes que lesionem os ligamentos ou fraturem o polegar podem contribuir com a piora da rizartrose.

Sintomas

O principal sintoma é a dor na região da base do polegar. Ela pode ser bem intensa ao movimentar o dedo, como durante atividades que envolvem abrir portas ou rodar fechaduras. Caso essas atividades não sejam interrompidas, os sintomas avançam a ponto de ter inflamações que podem tornar o polegar rígido e deformado.

A dor pode ser influenciada pelas oscilações climáticas, e a doença pode acontecer em ambos os polegares. Vale salientar que outras doenças podem provocar a rizartrose, como artrite reumatoide, gota e infecções.

Diagnóstico

A rizartrose pode ser diagnosticada durante a consulta clínica, já que ela é bem característica. No entanto, para avaliar o impacto articular é necessário fazer uma radiografia. Por isso a importância de passar por consulta com um ortopedista especialista em mãos.

Tratamento

O tratamento varia de caso para caso, sendo que vai depender da intensidade da dor e do grau de impacto. A opção menos invasiva é colocar uma tala que imobilize o polegar. Ela deve ser usada por cerca de cinco semanas. Pode ser adicionado ao tratamento o uso de medicamentos anti-inflamatórios, mas dependendo dos sintomas, injeções de cortisona podem ser aplicadas, pois reduzem dor e inflamação.

Caso o tratamento conservador não funcione, o médico pode recomendar a cirurgia.

Há várias técnicas, indicadas conforme o caso, desde a remoção do trapézio, até mesmo a colocação de uma prótese ou um enxerto tendinoso.

O pós-operatório visa recuperar os movimentos no dedo e a força do polegar. Assim como outros tipos de artrose, a rizartrose não tem cura, mas o tratamento visa cessar a dor, frear o avanço e estabilizar o quadro.

Mauro Zyman - Doctoralia.com.br

 

 

Dr. Mauro Zyman   |   CRM 46.525

Ortopedia e Traumatologia   |   Cirurgia de Mão

 

Telefone - (11) 3285-3741 / (11) 5904-2811

Consultório - Av. Paulista, 2518 - Cj. 91 - Consolação - São Paulo, SP

E-mailEste endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

WhatsApp - (11)98812-0843